Bruno de Carvalho estará de novo sob alçada do CD da FPF e sujeita-se a suspensão a dobrar pela reincidência. João Diogo Manteigas traça a O JOGO o enquadramento legal em que incorre o líder leonino.

Entre o que consta do relatório do árbitro Luís Ferreira, as declarações prestadas no final do Sporting-Tondela de sexta-feira passada e as proferidas aos sócios no decorrer da AG de sábado, Bruno de Carvalho sujeita-se a nova sanção do Conselho de Disciplina (CD) da FPF e arrisca não voltar a sentar-se no banco, como é seu hábito, até final da época. Esse é pelo menos o cenário deixado em aberto por João Diogo Manteigas, especialista em direito desportivo que traça a O JOGO o enquadramento disciplinar em que incorre o presidente dos leões.

“Pelos protestos contra a arbitragem no final do jogo, não deve livrar-se de uma multa; já pelas declarações a visar Vítor Pereira e o próprio árbitro [Luís Ferreira], calculo que seja punido por lesão da honra. Sendo reincidente, a punição deve passar para o dobro: deve ter uma suspensão mínima de dois meses, mas pode ir de três a quatro meses”, perspetiva João Diogo Manteigas, antes de abordar a questão por outro prisma: “Vítor Pereira cingiu-se à vertente desportiva, julgo que a APAF também o vai fazer, mas podiam apresentar queixa ao Ministério Público por lesão da honra e difamação.”


Bruno Carvalho Expulso! por 1904s_slb