A transmissão dos jogos da equipa B do Benfica continuará a ser assegurada pelo canal televisivo dos encarnados. O acordo com a NOS contempla apenas os direitos da formação principal.

O contrato assinado entre a SAD benfiquista e o grupo de telecomunicações terá, no entanto, implicações naquele canal televisivo, ao nível dos conteúdos e não só, a partir da próxima temporada. Sem os encontros da equipa principal, a BTV voltará a emitir em sinal aberto, como aconteceu nos primeiros anos, enquanto vigorou o contrato com a Olivedesportos.

A programação, por outro lado, será mais virada para a realidade do clube, também neste capítulo um regresso às origens. Quase sete anos depois do início das emissões regulares, o Benfica continuará a transmitir os jogos do conjunto secundário, mas também de outras equipas de formação. Os jogos das modalidades chegarão, de igual modo, às televisões dos adeptos através das câmaras da Benfica TV.

Mostrar o universo encarnado

Essa faceta do canal em dar a conhecer a realidade do clube da Luz nunca foi colocada de parte, ainda que tenha perdido algum impacto, por causa da transmissão dos jogos da equipa principal e de outras ligas.

O acordo milionário com a NOS levará a alguns reajustes, algo considerado normal, tendo em conta as verbas envolvidas. No fundo, a BTV passará a ser o que era no início, quando começou as emissões regulares. Será, em resumo, um canal mais virado para dentro de casa.

Ligas inglesa, francesa e italiana chegam ao fim

A partir das próxima temporada, os campeonatos inglês, francês e italiano já não serão transmitidos em Portugal pelo canal de televisão dos encarnados. No que se refere à Premier League, o contrato expira no final da época, daí que não seja renovado, em função do contrato assinado com a NOS. Os direitos da liga inglesa foram adquiridos em fevereiro de 2013, sendo um trunfo de um canal que passaria a ser pago e que iria transmitir os jogos do Benfica em casa. Em julho passado, em entrevista ao ‘Expresso’, o administrador-executivo dos encarnados, Domingos Soares Oliveira, sublinhava: “Vamos ter uma batalha violenta pela liga inglesa, mas com as ligas francesa e italiana ficamos um pouco protegidos.” No que se refere às ligas francesa e italiana, cujos direitos foram assegurados em 2015, os contratos são válidos por mais dois anos. No entanto, devem fazer parte do pacote negociado com a empresa de telecomunicações.