Vivia em Mira Sintra, com os pais, quando assinou pelo Benfica. Filho mais novo de uma família com três filhos, Nélson Semedo conta como foi a sua chegada ao Benfica.

«Andámos, andámos [n.d.r de carro por Lisboa] e, às tantas, o empresário perguntou-me se ainda não sabia qual era o clube. Horas antes começara por me perguntar se gostava de ir para o Belenenses e eu respondi-lhe que sim. Só quando entrámos no Estádio da Luz é que me apercebi. Fiquei com o coração nas mãos, sou benfiquista ferrenho. Sempre foi um sonho envergar esta camisola», afirmou, em entrevista ao jornal Record.

Nélson Semedo explicou também como foi a sua chamada à equipa principal, por Rui Vitória.
«Confesso que não estava à espera. Mas trabalhei muito para isto. Claro que todo o staff tem a sua parte de mérito. O LAB, os enfermeiros, a equipa técnica e os jogadores, todos fizeram com que isto fosse possível e só posso agradecer a quem apostou e acreditou em mim. Há muitos jovens talentos no Seixal que podem aspirar a fazer um percurso idêntico», disse o jogador, salientando como tem acontecido a chegada de vários jogadores da formação à equipa principal das águias.

«Os jogadores da formação chegaram à equipa principal com o intuito de aprender e evoluir. Ele é o nosso treinador, é a pessoa que nos ensina, e claro que, se estiver errado, agradeço que ele me puxe as orelhas.»

«Ainda não consegui nada no futebol»
Antes da lesão, Nélson Semedo vinha sendo titular absoluto no lado direito da defesa. Ainda assim, tenta não embandeirar em arco e manter a calma quanto ao futuro.

«Ainda não consegui nada no futebol. Poderei chegar mais longe mas, para isso, terei de trabalhar muito. No Benfica tenho todas as condições de que um jogador precisa para chegar ao topo. Vou aproveitar ao máximo e tentar chegar o mais longe possível», referiu o internacional português que no começo ficou surpreendido por jogar mais recuado na defesa.

«Comecei a jogar a lateral-direito com Hélder Cristóvão. Ele propôs-me ficar no plantel a jogar nessa posição. Na altura não achei muito boa ideia, mas depois correu bem e tenho de lhe agradecer essa decisão.»
Nesta entrevista, Nélson Semedo salientou a «importância» do regresso de Salvio à competição, falando também do papel de Nico Gaitán dentro do modelo de jogo dos bicampeões nacionais.

«É verdade que o Gaitán é um grande jogador. Sabemos que, na maior parte do tempo, a bola passa pelos pés dele, pois é um dos melhores jogadores da nossa equipa. Mas todos nós temos um papel a defender. Porém, sem dúvida que tê-lo na nossa equipa é uma mais-valia», disse o jogador que nos tempos livres gosta de «estar com os amigos, com a namorada, com a família», além de jogar «PlayStation, ver televisão, de ir ao cinema».

Nélson Semedo, de 21 anos, totaliza nove jogos oficiais pela equipa principal do Benfica.