img_770x433$2016_03_03_14_16_42_1071775

A Polícia Judiciária (PJ) deteve esta quinta-feira o empresário Manuel Damásio, ex-presidente do Benfica, por suspeita de branqueamento de capitais e tráfico de influências, disse à Lusa fonte policial.

Em comunicado a PJ explica que a detenção ocorreu no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público junto do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e decorre de uma investigação iniciada em finais de 2014 e que deu origem à operação Rota do Atlântico.

Manuel Damásio, 75 anos, vai ser presente hoje a Tribunal para primeiro interrogatório judicial.

O empresário de futebol José Veiga e o advogado Paulo Santana Lopes são dois dos arguidos na operação Rota do Atlântico que se encontram detidos desde 8 de fevereiro. José Veiga está em prisão preventiva e Paulo Santana Lopes em prisão domiciliária.

O processo tem ainda como arguida a advogada Maria Barbosa, que se encontra com termo de identidade e residência e, tal como os anteriores dois arguidos, proibida de contactar entre eles.

A 8 de fevereiro, a Procuradoria-Geral da República (PGR) emitiu um comunicado no qual referia que o inquérito relativo à Rota do Atlântico tinha nove arguidos: quatro pessoas singulares e cinco pessoas coletivas.

Em causa nesta investigação, adiantava a PGR, estão suspeitas da prática dos crimes de corrupção no comércio internacional, branqueamento, fraude fiscal e tráfico de influência.