Esta época o Benfica perdeu seis vezes em todas as provas em que competiu. Em quatro delas foi Júlio César o guardião da baliza, nas outras duas foi Artur Moraes. Agora que o internacional canarinho está a treinar integrado, recuperado da lesão contra o Boavista, Jorge Jesus tem uma escolha a fazer, já para domingo, na visita ao Arouca.

Artur Moraes vinha da época passada e manteve-se como primeira escolha de Jorge Jesus no início da época. A ronda oito foi a de viragem, com Júlio César a ganhar a titularidade na defesa da baliza das águias após a derrota em Braga, relegando Artur Moraes para o banco de suplentes.

Tudo isso até à jornada 19, quando Júlio se lesionou na recepção ao Boavista e Artur voltou a ser primeira opção.
Esta semana, no entanto, o guarda-redes de 35 anos está, aparentemente, apto e recuperado dessa lesão podendo já ser opção para Jesus lançar no desafio com o Arouca.

Das seis derrotas que o Benfica leva encaixadas esta temporada, quatro tiveram Júlio César entre os postes e as outras duas ocorreram com Artur Moraes.

No campeonato cada um dos guardiões leva uma: Artur perdeu em Braga, na jornada oito, Júlio César foi derrotado em Paços de Ferreira, na ronda 18. ambos levam 12 jogos realizados na principal prova nacional, o primeiro objetivo da temporada do clube da Luz, sendo um deles repartido, a receção ao Boavista, em que Artur ocupou o posto de Júlio lesionado.

No que diz respeito à Liga dos Campeões, prova na qual os números dos dois guarda-redes também são equilibrados – cada um leva três jogos – é Júlio César que tem pior registo: duas derrotas (Zenit e Bayer Leverkusen). Artur apenas foi derrotado por uma vez, em casa, contra o Zenit, jogo no qual até foi expulso.

No resto das provas que o Benfica disputou esta temporada, Artur apresenta folha limpa:uma vitória na Taça de Portugal, três triunfos na Taça da Liga, um empate e consequente triunfo nos penáltis na Supertaça.

Capturar

É, precisamente, na prova rainha do futebol português que surge a outra derrota do internacional brasileiro: nos dois jogos realizados Júlio César venceu um e perdeu outro, nos oitavos de final, com o SC Braga, e que ditou a eliminação dos encarnados da prova.

Em matéria de golos sofridos, Júlio César encaixou dez tentos em sete dos 18 jogos realizados com a camisola do Benfica, esta época, ao passo que Artur sofreu 11 golos em sete partidas das 20 cumpridas.